7 de junho de 2010

A Ponte para o sempre [Richard Bach]

  "Como saber se encontrou a sua alma-irmã? Eu não sabia, quando encontrei a minha. Foi num elevador. "Está subindo?", perguntei, "Está sim", respondeu ele. Nenhum dos dois sabia o que essas palavras significariam para as pessoas que somos agora.
  "Quatro anos depois nos conhecemos e, subitamente, éramos os melhores amigos. Quanto mais eu o conhecia, mais o admirava, mais pensava que ele é realmente uma pessoa maravilhosa!
  "Essa é a chave. Procurem por uma paixão que se torne melhor com o tempo, a admiração aumentando, a confiança crescendo através das tempestades.
  "Com esse homem, descobri que a intimidade e alegria profundas eram possíveis para mim. Eu pensava que essas eram minhas necessidades especiais, meus sinais pessoais de uma alma-irmã. Penso agora que podem ser de todos, mas que desesperamos em encontrar e tentamos resolver por menos. Como querer intimidade e alegria quando um amante sem entusiasmo e uma felicidade branda são o melhor que podemos encontrar?
  "Contudo, no fundo de nossos corações, sabemos que uma paixão morna se tornará fria, a felicidade branda se tornará uma espécie de tristeza indefinida, com perguntas nos atormentando: Esse é o amor da minha vida, é tudo o que existe, é para isso que estou aqui? No fundo de nossos corações, sabemos que deve haver mais, e ansiamos por alguém que jamais encontramos.
  "Com bastante freqüência, a metade de um casal está tentando se elevar, enquanto a outra puxa para baixo. Um caminha para a frente, outro cuida para que, a cada dois passos à frente, haja três para trás. É melhor aprender a felicidade sozinha, eu pensava, amar meus amigos e minha gata, é melhor esperar por uma alma irmã que jamais surge do que fazer essa concessão insípida.
  "Uma alma-irmã é alguém que tem fechaduras que se ajustam às nossas chaves e chaves que se ajustam às nossas fechaduras. Quando nos sentimos bastante seguros para abrir as fechaduras, nossos verdadeiros "eus" emergem e podemos ser, total e honestamente, quem somos; podemos ser amados por quem somos e não por quem fingimos ser. Cada um revela a melhor parte do outro. Não importa o que mais saia errado ao nosso redor, com essa pessoa estamos seguros, em nosso próprio paraíso. A alma-irmã é alguém que partilha nossos anseios mais profundos, nosso senso de direção. Quando somos dois balões e a direção comum é para cima, é perfeitamente possível que encontremos a pessoa certa. Nossa alma-irmã é alguém que faz nossa vida se tornar vida."

Richard Bach