17 de agosto de 2011

Livro do Desassossego [Fernando Pessoa]

Nunca amamos ninguém.
Amamos, tão-somente, a idéia que fazemos de alguém.
É a um conceito nosso - em suma, é a nós mesmos - que amamos.
Isso é verdade em toda a escala do amor.
No amor sexual buscamos um prazer nosso dado por intermédio de um corpo estranho.
No amor diferente do sexual, buscamos um prazer nosso dado por intermédio de uma idéia nossa.


Fernando Pessoa